Seminário de Tecnologia e Comunicação 2006/2

terça-feira, outubro 24, 2006

Entrevista com Gabriel Pillar

Gabriel Pillar tem 22 anos, está no 8º semestre de Jornalismo na FABICO e é dono da famosa comunidade de blogs gaúcha www.insanus.org. O Insanus reúne blogueiros e blogs dos mais variados tipos e tem mais de 500 mil acessos por mês. Gabriel respondeu a algumas perguntas ao grupo que estão registradas aqui. Você pode conferir o blog do Gabriel em www.insanus.org/vertigo.

Seminário de Tecnolgia e Comunicação: Como surgiu a idéia do Insanus?
Gabriel Pillar: O Insanus, como muita coisa na FABICO, nasceu numa mesa de bar. É inegável dizer isso. O Insanus como ele é hoje, um portal de blogs, surgiu de uma conversa minha com o Bruno Galera, que na época tava insatisfeito com o site dele. Eu também tinha um blog no mesmo domínio que ele e daí a gente resolveu criar o site.

STC: Como foram definidos os colaboradores?
GP: O Insanus sempre foi uma coisa de amigos. Todo mundo entrou lá porque me conhecia ou conhecia alguém que me conhecia e já tava lá dentro. Estas pessoas falavam: “ah, tem uma pessoa legal que tá querendo fazer um blog.” As pessoas precisam ser nossas conhecidas pra ter um blog no site. Tem os comentários nos blogs pras pessoas que queiram participar, mas a gente não aceita pedidos de entrada de pessoas aleatórias que queiram ter um blog. É uma comunidade fechada.

STC: Qual é o objetivo principal do site?
GP: Blogs não têm muito objetivo. Acho que cada um tem seus próprios objetivos ali dentro, de publicar suas coisas, de escrever. O Insanus não tem um objetivo central.

STC: Tu imaginaste que o portal faria tanto sucesso?
GP:
Com certeza. Desde o início as pessoas que a gente chamou pra participar já tinham blogs que eram super acessados, já tinham um “nome”, digamos assim. E isso com certeza impulsionou o site. Com certeza a gente tinha pretensões, não foi ao acaso.

STC: Tu achas que o fato de escritores famosos como o Cardoso e o Daniel Galera terem participado do projeto fez o Insanus se tornar famoso?
GP: Com certeza. Deu ainda mais visibilidades pra eles e começou a dar uma visibilidade boa pro nome Insanus. Um fato interessante é que quando eles entraram deram bastante acessos pro site e quando eles saíram não teve nenhuma queda nesse aspecto. Ou seja, os acessos ficaram e se espalharam pelos outros blogs.

STC: Todos os "blogueiros" do Insanus são jornalistas e/ou escritores?
GP: Não. Temos publicitários, temos uma cartunista, temos filósofos. Temos de tudo, mas todo mundo com um pé na comunicação.

STC: Os blogs do portal em geral falam sobre o quê?
GP: Ah, daí tu vai ter de tudo. Desde blog pessoal, até blogs temáticos sobre política ou culinária. Ou o Parada (www.insanus.org/parada) que vai falar mais sobre fotografia ou a Vanessa (www.insanus.org/sinye) que tá falando sobre a vida dela na Itália. É super variado.

STC: Tu escreve mais sobre qual assunto no teu blog?
GP:
Eu não escrevo muito (risos). Faz muito tempo que eu tô sem escrever. Ontem até fiz um post. Mas é super genérico. Eu falo sobre fotografia, posto alguns textos meus publicados ou que poderiam ser publicados e acabam indo pro blog. Acaba sendo super pessoal mesmo.

STC: Tu achas que a FABICO foi importante no surgimento do Insanus?
GP: Sim. Agora FABICO como FABICO/DACOM, sinuca, chinelagem e Tia Vilma. Esse grupo de pessoas é FABICO, se conheceu na FABICO, bebeu junto na FABICO. Então de certa forma é uma continuação de um grupo que se formou lá. O Insanus é uma extensão de um ciclo de amizades que se existiu lá e amigos de amigos de faculdades.

STC: O site recebe alguma ajuda externa ou de patrocinadores?
GP: Não. O site é mantido por mim. Todo o design, diagramação, tudo é feito por nós mesmos.

STC: O blog, na tua opinião, pode ser considerado um tipo de literatura?
GP:
(risos) Esta é uma pergunta que circula desde os tempos de COL (www.cardosonline.com.br/), se o blog é literatura. Essa aí tu vai ter que perguntar pro Daniel Galera (www.ranchocarne.org/blog/). Ele vai gostar de responder (risos). Assim ó, blog é meio. Eu sou partidário da idéia que blog pouco modifica a linguagem. Assim como fanzine é um meio.

STC: Que rumos tu vê pro Insanus?
GP:
O Insanus tá acabando. Vai acabar daqui 2 meses (risos).

STC: Tu te sentes feliz em ver o resultado do portal? Tu acha que acrescentou algo na tua vida?
GP:
Olha, acrescentar alguma coisa... Acho que foi divertido. E sendo divertido qualquer coisa vale.

STC: O que tu acha dos sites não terem mais “barreiras”, tipo wikipedia, web 2.0.?
GP:
Eu acho que isso é futuro. Isso aos poucos começa a migrar pra outros espaços, espaços reais, espaços urbanos. Quando tu começa a ter um cruzamento destes espaços, que é a rede, que é a internet, com o espaço físico e urbano tu passa a ter a possibilidade de criação aí também. Eu acho que tu tem um puta potencial democrático de modificação e criação dos espaços pela população. Não só a wikipedia mas os espaços urbanos. Isso é uma coisa que começa a engatinhar e começa a surgir projetos nessa área e eu acho que é muito interessante este tipo de iniciativa.

STC: Gostaria de deixar algum recado ou consideração final?
GP: Criem seus próprios blogs, criem suas comunidades. Assim como o Insanus veio depois do COL, que veio depois do exquisite (www.exquisite.com.br), tem que vir alguma coisa agora. A Insanus é transitória, como tudo na rede. A gente tá ficando meio que de saco cheio com essa história e tá buscando outras coisas na rede. Poderia estar na hora de outras pessoas chegarem. Eu acho que isso é uma falha. Poucos projetos coletivos existem hoje aqui na rede brasileira.